De acordo com a ANVISA, os resíduos da saúde são definidos como:

“todos os resíduos resultantes das atividades exercidas pelos geradores de resíduos de serviços de saúde”

Eles se classificam em:

  • Grupo A: Resíduos potencialmente infectantes, ou seja, que podem possuir agentes biológicos e representam um risco de contaminação. Alguns exemplos são amostras de sangue e tecidos usados em exames.
  • Grupo B: São os materiais químicos, que podem possuir características como corrosividade, inflamabilidade, toxicidade. Alguns exemplos são regentes de laboratório e filmes de raio X.
  • Grupo C: São materiais que possuem carga radioativa acima do permitido.
  • Grupo D: São os resíduos comuns gerados nas atividades diárias do hospital, desde que não tenham sofrido nenhuma contaminação;
  • Grupo E: Materiais perfurocortantes, ou seja, todo tipo de objeto ou material que possa causar cortes ou perfurações, tais como agulhas, bisturis, ampolas de vidro, etc.

DESCARTE DOS RSS:

Os RSS devem ser separados de acordo com sua classificação, pois cada grupo de resíduo deve ser colocado em um recipiente especifico, apropriado para garantir a segurança dos trabalhadores que farão seu transporte e disposição final:

Resíduos do Grupo A devem ser descartados em sacos brancos leitosos, quando sua destinação for a autoclavagem, e em sacos vermelhos quando sua destinação for a incineração.

Os resíduos do Grupo B devem ser dispostos conforme os requisitos da NBR 7500 e especificações contidas nas suas FISPQS (Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos).

Os resíduos do Grupo E possuem coletores específicos para materiais perfurocortantes, para evitar acidentes durante seu manuseio.

Segue um quadro resumo da separação adequada de cada grupo de resíduo:

Segundo o ministério da Saúde, no Brasil os RSS representam certa de 1 a 3% dos resíduos sólidos urbanos gerados, e causam grande preocupação não necessariamente pelo seu volume, mas sim por sua periculosidade, já que podem representar fontes de contaminação e dispersão de doenças.

A Salmeron:

Reciclagem, Valorização e Recuperação de Resíduos tem sido uma de nossas atividades desde 1979! Ao longo destes anos, já reciclamos mais de 6 milhões de toneladas e evitamos mais de 20 milhões de m³ de aterro.

Lidamos com todo tipo de material - do papel a madeira, de resíduos de construção e aço até plásticos e metais preciosos. Pensando sempre na economia de recursos, redução de custos e redução da pegada ambiental.

A classificação, reciclagem e recuperação de resíduos necessita de conhecimentos técnicos especializados e de uma grande capacidade de adaptação tecnológica, tendo em vista que para reutilização de cada material é preciso conhecimento das suas restrições e particularidades.

Somos reconhecidos pelo pioneirismo na reciclagem energética, certificados pelo FSC e pelas ISO 14.001 e ISO 9001  para o mercado de energia limpa e sustentável e pelo amplo investimento em melhorias e inovações no serviço de Gestão Total de Resíduos (coleta, tratamento, reciclagem, recuperação, armazenamento, descaracterização, valorização e comercialização de diversos tipos de resíduos). Somos licenciados pelos órgãos competentes (CETESB, INEA, SEMAD, IAP).

Entre em contato conosco e destine todos os seus resíduos corretamente.

Sobre o Autor

Deixe um comentário:
*

Your email address will not be published.