O ano de 2020 começa com uma grande notícia: A BlackRock, maior gestora de recursos do mundo, afirma que sairá de investimentos com riscos à sustentabilidade.

Nesta semana, terça-feira (14/01), saiu a Carta Anual, aos CEOs das maiores companhias globais, de Larry Fink, uma das vozes mais influentes no mundo dos investimentos, CEO e presidente da BlackRock (carteira de US$6,96 trilhões). Anunciando uma série de iniciativas para posicionar a sustentabilidade no coração da sua estratégia de investimento. 

Risco climático é um risco de investimento. […] Num futuro próximo –e mais cedo do que muitos preveem – haverá uma realocação significativa de capital.

Sustentabilidade deixa de ser, portanto, um tema de escolha para se tornar pré-requisito de atuação empresarial. Vira sinônimo de solidez. Ganha o status de indicador-chave de rentabilidade no longo prazo.

Para dar o exemplo do que defende, e mostrar que não está para brincadeira, Fink informou que a BlackRock, por decisão do seu Grupo de Risco e Análise Quantitativa (que avalia todos os riscos de investimento da companhia), conferirá ao risco ESG o mesmo peso de importância dos riscos considerados convencionais, como os de crédito e liquidez.

[As Iniciativas] incluem: fazer da sustentabilidade uma parte integrante da construção do portfólio e da gestão de risco; desinvestir daqueles com alto risco de sustentabilidade, como os produtores de carvão para termoelétricas; lançar novos produtos de investimento que filtrem os combustíveis fósseis; e fortalecer nosso compromisso com a sustentabilidade e a transparência em nossas atividades de gestão de investimentos.

Ou seja, a BlackRock vai sair de “certos” investimentos que tenham um alto risco relacionado à sustentabilidade e que a gestora vai lançar novos produtos de investimento que excluam combustíveis fósseis, além de cobrar das empresas mais transparência sobre suas práticas.

De imediato, a gestora se comprometeu a se desfazer de todos os investimentos em combustíveis fósseis — tanto equity quanto dívidas — dentro de seus fundos ativos.

“Mesmo quando esses episódios duraram muitos anos, todos eles foram, no amplo contexto das coisas, de curto prazo. As mudanças climáticas são diferentes. Mesmo que apenas uma fração dos impactos projetados seja realizada, esta é uma crise muito mais estrutural, de longo prazo. Empresas, investidores e governos devem se preparar para uma realocação significativa de capital.”

Incluindo uma observação urgente:

Risco climático é um risco de investimento. […] Num futuro próximo –e mais cedo do que muitos preveem – haverá uma realocação significativa de capital.

Até pouco tempo atrás, uma parte dos CEOs brasileiros tratava as questões ambientais e sociais como um investimento que não traria retorno. Mas se não ouvirem o que Larry Fink, CEO da BlackRock, tem a dizer, eles podem ser dar mal.

O mundo mudou. A menos de uma década, mudanças climáticas representavam uma ameaça distante.

“Os investidores estão tentando entender tanto os riscos físicos associados às mudanças climáticas, quanto também as formas pelas quais as regulamentações impactarão preços, custos e demandas”

A emissão dos gases de efeito estufa aumentou nos últimos anos, chegamos em um momento de emergência climática. Indisponibilidade de recursos naturais, contaminação dos solos, ondas agressivas de calor e frio, aumento do nível do mal, colapso de ecossistemas e o descarte incorreto de resíduos, tudo isso impactará os negócios e, significam, na prática, novos riscos, ainda não devidamente contabilizados na equação empresarial.

“Uma farmacêutica que aumenta impiedosamente os seus preços, uma empresa de mineração que diminui a segurança, um banco que não respeita os seus clientes podem até aumentar o retorno de curto prazo. Mas, como temos visto repetidas vezes, ações que prejudicam a sociedade acabarão por prejudicar a empresa e destruir o valor aos acionistas”.

Nós da Salmeron, também acreditamos em um capitalismo responsável e transparente, e estamos aqui para ajudar sua empresa a se desenvolver de maneira mais lucrativa, estratégica e sustentável.

Temos soluções na área de Gestão de Resíduos Industriais (Coleta, Transporte, Armazenamento, Beneficiamento e Comercialização), com foco no Aterro Zero e Geração de Energia Renovável a partir da Biomassa/Biovapor.

Entre em contato

Referência:

BlackRock  – Leia a Carta na íntegra (vale a pena)